segunda-feira, 15 de março de 2010




Lançamento do livro 
"UMA VISÃO ARMILAR DO MUNDO", de Paulo Borges
Amanhã, dia 16, Biblioteca Nacional, 18h30
Apresentação | Miguel Real


A Obra
Este livro pensa, em diálogo com Camões, Vieira, Pascoaes, Pessoa e Agostinho da Silva, a vocação universal de Portugal: uma convivência planetária, iniciadora de outro ciclo civilizacional.


Uma Visão Armilar do Mundo: a perfeição, plenitude e totalidade da esfera e, nas armilas, a interconexão de todos os seres e coisas, tradições e culturas, artes e saberes. Antes de ser emblema de D. Manuel I, eis toda a fecundidade simbólica da Spera Mundi, Esfera e/ou Esperança do Mundo: ao invés do nacionalismo ou patriotismo comuns, a cultura portuguesa e lusófona converteria muros em pontes, fronteiras em mediações, limites em limiares, numa abertura ao universo, a todos os povos, nações, línguas, culturas e religiões. Uma visão integral  do mundo, sem cisões, exclusões ou parcialidades.
Numa era celebrada como multicultural, a Esfera Armilar surge como paradigma da reinvenção de Portugal como nação de todo o mundo, que vise o melhor para todos, uma cultura da paz, da compreensão e da fraternidade à escala planetária, abraçando a natureza, o homem e todos os seres sencientes.



O Autor

Paulo Borges nasceu em Lisboa em 1959.
Professor do Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde trabalha nas áreas de Filosofia da Religião e Filosofia em Portugal. Membro e investigador do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, onde coordenou o projecto “Agostinho da Silva: estudo do espólio” e integra os projectos “A questão de Deus. História e Crítica” e “Arte e Religião”. Doutorou-se em 2000 com uma dissertação sobre Metafísica e Teologia da Origem em Teixeira de Pascoaes.
É autor de várias obras de poesia e de ensaio, do romance Línguas de Fogo, Paixão, Morte e Iluminação de Agostinho da Silva, além de centenas de conferências e artigos em revistas científicas e obras colectivas, publicados em Portugal, Espanha, França, Itália, Alemanha e Brasil.

Sem comentários:

Publicar um comentário